Ola, eu me vacinei

Finalmente chegou minha vez para tomar a vacina contra o covid-19.

O braço que tomei vacina está dolorido, não estou conseguindo levantar ele.

Minha mente está pensando “E agora? O mundo volta ao normal? Estamos prontas pra isso?”

Comecei a arrumar a casa daqui, meio que ja vinha fazendo isso, mas agora é mais certo, não vejo perspectivas de sair daqui, sozinha, num lugar que ninguém se importa, esse é o meu fim?

Seria melhor ter morrido pro vírus? Talvez

Talvez ainda dê tempo…

Não me dê ouvidos, por favor! A essa altura estou escrevendo movida pela dor.

Eu abri live pra me impedir de chorar…

Tenho um canal na Twitch e as vezes faço lives, nada corriqueiro, até aleatórias.

Hoje eu decidi abrir live pra me impedir de chorar, aconteceu tanta coisa esses dias, que hj eu tinha certeza que se começasse a chorar não ia parar mais.

Hoje eu senti aquela voz que cochicha atras da minha cabeça…Estou muito consciente que se eu ceder a essa voz, dessa vez não ha nada que impeça que eu acabe com a minha vida.

Nunca pensei que fosse ser tão infeliz, nas mãos de quem diz me amar.

Menos de uma semana para me vacinar, me pergunto se vale a pena ainda

Eu não durmo

Preciso dormir, me comprometi dormir mais cedo e por mais tempo.

Choro menos, não escrevo, quase não leio…não sei mais quem sou. E a única coisa que parecia fazer algum sentido era cumprir com uma simples necessidade humana, que é dormir, nem isso eu consegui.

Voltei a engordar, eu odeio meus remédios, me fazem dormir, mas o preço é me fazer engordar.

Preciso ir ao médico, meu corpo tem dado sinais que as coisas não estão bem, mas eu não consigo. E cá estou, sem dormir novamente, pensando incessante em muita coisa que eu não tenho controle.

Ah eu vou me vacinar em breve, isso é algo bom ne…

Mais um dia 27

Mais um dia 27 pra me lembrar do por que estou tão infeliz.

Será que em algum momento eu vou voltar a ser feliz nesse dia? Ou vou pra sempre desejar morrer quando ele chegar?

…espero ao menos conseguir fazer por onde ter dinheiro o suficiente pra poder sair daqui…ter todos meus gatos de volta e nunca mais me separar deles.

Me sinto tanto

Parece que sou só emoção, me sinto tanto.

Hoje eu me esforcei para lembrar do cheiro da barba dele…será que ele ainda tem barba?

Faz tanto tempo que eu não o vejo, será que ele ainda existe? Ou ja é projeção de um delírio da minha mente?

Eu devia dormir, mas estou ansiosa pelo que vai acontecer essa semana, finalmente vai acontecer algo excitante! E contra tudo o que meu psicólogo me diz pra fazer; parar e descansar minha mente.

Me jogar em alguma coisa, que não me deixe pensar no que não suporto sentir, é exatamente o que farei.

Estou cansada de pensar nele… estou cansada de viver a merce das consequências das escolhas que ele faz… pronto, ja estou chorando novamente.

Eu só quero ser feliz… podia ser com ele.

Ainda viva, ainda de quarentena. Se cuide!

Morri tantas vezes esse mês, mas continuo vivo

Morri tantas vezes esse mês, mas continuo vivo e ainda sofrendo.

Quanto tempo ainda vai durar todo esse sentimento? Quanto tempo eu ainda vou aguentar sentir todo esse sentimento?

Encontrei um frasco de remédios, de quando eu achava que precisava disso, de quando eu tinha fé que eles iam me ajudar a ser uma pessoa melhor. Tomei um…

No outro dia tomei outro e no outro e no outro e no outro e no outro ate os dias se tornarem uma semana.

Minha mente funciona diferente com eles, é como tomar um banho morno e relaxar.

Me preocupa que eles afetam a fertilidade e podem auxiliar no surgimento de câncer do ovário, trombose e problemas no fígado. Mas quem liga, se externamente eu parecer bem, ne.

Ainda viva, vivendo de quarentena

Se você fosse o motivo da minha poesia

Se o silêncio tivesse um sabor, ele teria seu nome.

No cálido dos meus pensamentos, depois de retornar de uma tormenta de maus presságios, sua voz é o consolo.

Na manhã angustiante, que me lembra do dia ainda por viver, sua ausência me fere.

Se sua voz fosse o meu ar, agora eu estaria sufocando.

O vento sopra a cortina, luz da manhã entra no quarto, observei cada sombra no teto percorrer devagar até se dissipar.

Se seu toque estivesse aqui, talvez eu pudesse distinguir o que é real do que sonhei e não vivi.

Sinto não sentir nada, sinto tanto por não sentir, nada.

Se a dor tivesse um endereço eu a mandaria uma carta, pedindo venha me levar embora.

Se a vida tinha um caminho melhor a seguir, eu não conheci.

oox

Eu ganhei na Quina

Eu ganhei na Quina, aquele jogo que pode ser feito nas Lotérica e você paga 2 reais.

Ganhei 3 vezes em um período de 30 dias, calma, não fiquei rico ou coisa assim. Acertei as 3 vezes no Duque, que é quando se acerta apenas 2 números.

Toda minha família riu muito com isso e alguém disse: Você quase ganhou!

E eu pensei: Mas eu ganhei! Três vezes por sinal.

As pessoas, até aquelas que nos querem bem, as vezes não percebem como invalidam nossas conquistas. Eu não ganhei o prêmio máximo da Quina de fato, mas isso não inválida que eu ganhei.

E ter ganhado mesmo que o valor mínimo me fez muito feliz e me fez sentir especial naquele momento.

Quantas vezes pequeninas coisas nos fazem se sentir assim? E quantas vezes tudo o que temos são pequenas felicidade diárias que nos fazem se sentir especiais nesse mundo, nessa vida, que parece feita pra esmagar os entusiastas.

Eu sou um entusiasta, eu sou um amaldiçoado entusiasta… um dia vamos falar sobre isso, mas não hoje. Hoje eu só quero dizer para você se apegar as pequeninas alegrias diárias da sua vida e defendê-la até de si mesmo.

Bjs de luz!

A vida pode ser como um bolo de caixinha

A vida pode ser como um bolo de caixinha, ou saquinho, acho que não vende mais na caixinha…

Era 3 da manhã e resolvi fazer um bolo de chocolate, claramente uma expressão de como perdi o rumo da minha vida.

Na embalagem, bem explicadinho, tem até desenhos para ilustrar, dos ingredientes a serem usados e o passo a passo da execução do preparo. É tão simples que eu li várias vezes para ter certeza.

Ainda assim, o bolo “deu ruim” ficou mole, assou mais as laterais e o meio ficou cru. Eu fiquei decepcionada, afinal segui todas as instruções, parecia tão simples, tinha até desenhos pra explicar!!!

Eu tentei dar um jeito, o bolo acabou saindo do forno com aspecto duvidoso, nada parecido com o que a embalagem estampava. O gosto era razoável e eu acabei de convencendo que pelo menos estava comestível.

Mas o motivo da minha falha ainda era uma incógnita e eu não parei de pensar nisso, não consegui deixar pra la. Quando fui lavar a louça e chegou no momento de lavar a forma de bolo, observando como a massa ficou grudada e percebi qual foi o problema.

A minha forma de bolo era muito alta e pequena, nesse caso, para esse bolo em específico, ele precisava ficar mais espalhado e raso na forma. Eu tinha que ter usado outro tipo de forma.

E a vida é assim, as vezes fazemos tudo certo, seguimos as instruções e dicas, as vezes é tão simples que parece desenhado pra nós, mesmo assim as coisas não dão certo. Por que investimos na “forma” errada.

E comparamos com a vida (embalagem) dos outros e corremos o risco de nos deprimir e esquecer do trabalho que tivemos, desmerecendo e invalidando nossos esforços.

E digo mais, as vezes, mesmo depois de tudo sair errado, aceitamos o erro e nos convencemos a viver com ele, como foi meu caso, comendo o bolo mais ou menos que fiz.

Mas o bom da vida, assim como na arte de fazer bolo é que existem muitas “formas”, apenas não desista, va atrás da que vai dar certo com a sua receita!

Continuem tentando viver, continuem tentando fazer bolo. Vamos ficar bem no final!

Bjs de luz